Qual é melhor: DHI ou FUE?


A escolha entre o procedimento FUE ou DHI depende de vários motivos, como a classificação da queda de cabelo do paciente, o tamanho da área calva e a quantidade de cabelo disponível na área doadora. Por ser o transplante capilar um tratamento muito pessoal, acredita-se que a técnica que mais atenda às expectativas do paciente é aquela que dará melhores resultados.
O método FUE é ideal para cobrir grandes áreas calvas, enquanto o método DHI oferece uma melhor possibilidade de atingir maior densidade em áreas menos extensas. Se o paciente sofrer de queda de cabelo severa e as áreas calvas forem muito grandes para serem cobertas, mesmo se o paciente quiser se submeter a um procedimento de transplante de cabelo pelo método DHI, ele será um candidato melhor para receber um implante pela técnica FUE. A razão para isso é que a técnica FUE permite colher maiores quantidades de enxertos em uma única sessão.
A principal característica distintiva do método DHI, em comparação com outros métodos de transplante capilar, é que a técnica DHI emprega um instrumento médico semelhante a uma caneta conhecido como “implantador Choi”, que cria os canais de recebimento e simultaneamente transplanta os enxertos.
O método FUE exige que os pacientes tenham a cabeça completamente raspada antes do procedimento, enquanto o método DHI exige apenas que a área doadora seja raspada. Isso oferece uma vantagem significativa para pacientes do sexo feminino.
O método DHI requer mais habilidade e experiência do que é necessário em outros métodos de transplante capilar. Isso, por sua vez, exige que os médicos e equipes médicas sejam expostos a um longo período de treinamento até se especializarem na utilização dessa técnica.
O método DHI requer um período de recuperação mais rápido e pode ser realizado com menos sangramento em comparação ao método FUE.
O método FUE é ideal para cobrir grandes áreas, enquanto o método DHI oferece uma melhor possibilidade de atingir maior densidade em uma área menor.