O corpo pode rejeitar um transplante de cabelo?


Existem alguns exemplos em que a fisiologia do paciente pode ser responsável pelo baixo rendimento dos resultados do transplante de cabelo. No entanto, esta é uma ocorrência muito rara e geralmente é difícil distingui-la do erro humano.
De acordo com diversos estudos realizados em todo o mundo, quando não é decorrência de um erro humano, um transplante capilar simplesmente pode ser “rejeitado” pelo organismo, o que costuma ter como causa o Líquen Planopilar (LPP) pós-transplante.
LPP é uma doença inflamatória do couro cabeludo que normalmente resulta em alopecia irregular. No entanto, de acordo com a literatura médica, houve pelo menos 17 casos de LPP que se desenvolveram dentro de 4-36 meses após a cirurgia de transplante de cabelo. Os autores desses estudos concluíram que o LPP causou o baixo rendimento e foi “desencadeado” pelo transplante capilar. No entanto, 17 casos relatados, entre milhares de procedimentos de transplante capilar realizados a cada ano, é uma porcentagem muito pequena de supostas falhas causadas pelo LPP.
Felizmente, essas porcentagens são baixas e de natureza teórica. Isso mostra que é completamente desnecessário se preocupar com a ocorrência de algo assim. Nas mãos de um médico e de uma equipe médica experiente em transplante capilar, o transplante é um procedimento muito seguro e normalmente bem-sucedido. Em resumo, o mais importante é que a probabilidade de o corpo desenvolver uma condição adversa e “rejeitar” um transplante de cabelo é extremamente baixa.